GRIL3608


Créditos fotográficos: Hugo Grilo  hugogrilo.pt


AV//JAM | André Gastão


  • Local: Zona pedonal da Av. Heliodoro Salgado

Os encontros aV//Jam acontecem mensalmente em diversos espaços nacionais e internacionais, sendo a Vídeo-Arte o seu principal foco, reunindo músicos video-artistas de todo o mundo para sessões de improvisação visual e sonora. A embaixada que se desloca a Sintra, liderada por André Gastão e composta por Vj Glitch&Flower (Carlotta Premazzi), VJ SpiralSnake (António Ruivo), Vj ZAZ (Pedro Zaz) e David Negrão, vai surpreender pela originalidade, diversidade de linguagens e qualidade musical. 


ANDRÉ GASTÃO


  • Portugal

André Gastão é um artista visual na area do VJing. Começou no VJing em 2007, como Motionpunk Visuals frequentado alguns clubs e festivais electrónicos e culturais. Tirou o curso de Motion Design na ETIC e desde então começou também na produção de conteúdos. Em 2015 participou com uma instalação de Graffiti Mapping, juntamente com o artista plástico Menau no Festival Som Riscado. 

Em 2017, com o VJ ZAZ e DATA7 começou as aV//Jam, onde VJ's e músicos se exprimem através das suas artes e de forma livre e espontânea.

O grupo VJ Anonymous, liderado por André Gastão, integra os seguintes vj's:

Vj Glitch&Flower, Carlotta Premazzi nasceu em Itália em 1982. Frequentou o Curso de Desenho Industrial na Faculdade de Arquitetura de Parma; o MASP - MAster em Aquitetura do Espaço Publico (Lucca); a Pós-graduação em Net Art e Culturas Digitais na Faculdade de Belas-Artes em Carrara. Além disso, integra o percurso de formação com curoso que vão desde a bio-art, a técnicas de performance live e curadoria das artes. Neste solo fértil de contínuas experimentações define os objectivos da própria pesquisa artística e os meios através dos quais a expressar (vídeo-arte e instalações interactivas). O núcleo da sua pesquisa trata da análise das propriedades mutagénicas da pessoa coletiva em relação Às novas tecnologias e aos vários sistemas ideológicos impostos pela cultura dominante, assim como da pessoa singular, em relação ao ambiente externo e interno, percetivo e emocional. Mora e trabalha em POrtugal e Itália em design ed comunicação, multimédia e industrial e a partir de 2014 começa a actividade de VJ e Vídeo Live Performer, atiando em festas e vídeo-jam e participando na criação de espetáculos multidisciplinares (video-mapping-live act) para teatro, espaço público e site specifics com companhias de Teatro, de improvisação multidisciplinar e outros artistas. 

Vj Spiralsnake é o artista Português António Ruivo, que é conhecido como músico e produtor do projeto Dezoncondor, onde alia sua música e seus gráficos. Esta paixão começou em projeções e iluminação de festas e festivais de trance psicadélico na Holanda, por volta de 2008, onde desde então a sua multifacetada característica no campo da multimédia se evidenciou. Está de volta em 2018 com os seus originais e mistura de outros grandes artistas no campo dos visuais internacionais. 

Vj ZAZ

Pedro ZAZ é um artista que atua no acmpo dos novos média e do Vj. Trabalha com fulldome/cinema imersivo, projeções video-mapping, televisão e performances audiovisuais. ZAZ é co-fundador do grupo internacional de vídeo-arte United Vj's, que integram criativamente as artes digitais, empregando video-mapping, arquitetura, ilusões de óptica, projecção fulldome (planetários digitais), software de programação, som e vídeo-arte. A tripulação internacional tem origem a partir de São Paulo, com parceiros em toda a América do Sul, EUA e Europa, e tem realizado performances por todo o mundo. O artista é também co-fundador da plataforma de educação Vj University, que fornece formação em arte e tecnologia para Vjs e outros artistas visuais em todo o mundo. ZAZ é director e um dos organizadores do festival Expanded Cinema Fulldome UK. No campo do fulldome trabalha ainda como integrador de sistemas e mentor de software para Vjing em palnetários digitais, e co-criou a cúpula Blendy DOme Vj e os softwares Blendy CAM 360, usados para a criação de conteúdos para Vjing em ambientes de cúpula. 

David Negrão encontra-se envolvido nas potencialidades técnicas e criativas da interactividade e contiguidades entre os planos do real e do digital. Constantemente inspirado pela natureza e movido pela curiosidade, utiliza o código visual como ferramenta para desenvolver sistemas que lhe permitem fazer a ligção entre arte, natureza e tecnologia.